C

Como fazer para que as suas propostas de design sejam aprovadas pelo cliente

Read this article in English here or en français ici.

Translation by Vivan Andreozzi

É fácil apontar o dedo para os clientes quando falhamos como designers. Preferimos pensar que a culpa é deles se nossas ideias brilhantes nunca chegam a ver a luz do dia devido à sua falta de sensibilidade e visão. Mas fazer com que o design seja aprovado pelo cliente também é uma habilidade essencial que nós, profissionais do design, devemos ter. A responsabilidade também é nossa se somos incapazes de articular nossas ideias de maneira convincente. Aqui estão algumas sugestões que utilizamos (ou pretendemos utilizar) na Voilà: para aumentar as chances das nossas ideias serem aprovadas pelos nossos clientes.

Tenha boas ideias

Comece sendo bom no que você faz. O design é tanto uma arte como uma ciência. Aprenda a ciência, e desenvolva a arte. Se você quer culpar os clientes por terem preferências arbitrárias, então você tem que desenvolver as suas próprias preferências. Suas ideias devem ser autônomas e ter uma certa qualidade objetiva, independente do seu estilo.

Aprenda os termos

Saber quais são os termos utilizados na sua área de atuação e se expressar com clareza são sinais de profissionalismo que ajudam a construir credibilidade. Isto mostra aos seus clientes que você sabe do que está falando, o que os torna mais propensos a respeitar a sua expertise. Este cuidado é especialmente importante se, assim como eu, você é um designer que veio de uma outra disciplina, o que é bem comum na área do design de informação.

Desenvolva o seu estilo

A grande realização do esforço de um designer é ser procurado pelo seu estilo. Pense num ilustrador. Se o cliente embarcar no seu estilo antes mesmo de te contratar, será muito mais fácil convencê-lo a aprovar a sua proposta. Mas não é fácil definir um estilo próprio, ater-se a ele, e ser reconhecido por ele.

Apareça quando ele mais precisar

O contexto do cliente irá influenciar o quão aberto ele estará a novas ideias. Será mais fácil convencê-lo se ele estiver insatisfeito com a situação atual e estiver aberto a mudanças. A imagem que ele fará de você pode ser afetada por experiências recentes com outros designers, quer tenham sido positivas ou negativas. Preste atenção a estes sinais nas trocas que tiver com ele e ajuste a proposta e as interações de acordo com isso

Clarifique as expectativas do cliente

O design também é uma questão de opinião. É importante entender a perspectiva do seu cliente antes de começar a trabalhar no design. Designs diferentes podem ser igualmente bons, mas podem não agradar ao mesmo público. Na Voilà:, usamos moodboards para que o cliente indique aquilo que mais gosta. Também pedimos que ele traga exemplos de outros projetos que goste.

Uma página dos nossos moodboards

Apresente a sua proposta

Quando a proposta estiver pronta, agende uma reunião com o cliente e chegue preparado com a sua apresentação. Apresente um a um os seus argumentos e só depois mostre o design, que deve estar alinhado com a sua visão. Use o tom e ritmo para demonstrar conhecimento e convicção. Para apresentar uma proposta de design para um relatório, normalmente utilizamos de 20 a 30 slides. Apresente tudo antes de abrir para comentários/feedback. Dica: dê alguns segundos para que o seu cliente possa absorver todo o conceito depois de mostrar o design.

Liste as restrições

Todo projeto de design tem as suas restrições, e ainda bem. Antes de desenvolver a sua proposta, faça perguntas para esclarecer qual a mensagem desejada pelo cliente, diretrizes visuais, temas a evitar, imagens existentes, etc. Quando for apresentar a proposta, lembre o seu cliente destas restrições antes da grande revelação. Este lembrete vai ajudar a restringir o âmbito das possibilidades, assim como as sugestões que o cliente possa fazer para levar o projeto para um caminho diferente. Também divide a responsabilidade das decisões criativas com o cliente.

Faça o seu design brilhar

A forma como você apresenta as suas ideias é muito importante. Apresente os seus designs como você o faria em um portfólio. Pense em roupas expostas numa loja chique, em peças de arte exibidas num museu, na apresentação de pratos num restaurante de luxo. Nós, por exemplo, usamos mockups que dão vida ao design e os fazem parecer bem acabados e desenvolvidos. Estes mockups também dão uma ideia melhor de como será o produto para o usuário final.

Um slide de uma proposta de design para um cliente

Escolha as suas batalhas

O seu design pode ter aspectos básicos que o fazem funcionar, que serão claros para você como profissional de design. Mantenha-se fiel a estes aspectos, e não se apegue a aspectos menores e de menor importância. Isto demonstrará flexibilidade e convencerá o seu cliente de que você não é teimoso e sensível à críticas, mas consciente e de cabeça aberta. Chegue no momento da apresentação sabendo o que é importante e o que não é.

Aceite (algum dos) comentários do seu cliente

O cliente pode nem sempre estar certo, mas às vezes pode estar sim. Sua primeira reação a um feedback pode ser defensiva, dado o cuidado que você investiu na proposta e o tempo e energia despendidos. Mas se você refletir um pouco, pode encontrar algum valor no feedback do seu cliente. Pode até se inspirar a fazer ainda melhor. Se você não puder ajustar na hora, dedique algum tempo para ponderar sobre como atender àquela solicitação e ainda assim entregar um trabalho de qualidade.

Como designers, devemos levar em conta a experiência do público. Isto deve se estender às nossas próprias interações com os clientes, que devem estar pensadas de forma a atingir os objetivos deles da melhor maneira possível. Afinal de contas, os clientes também são um uma espécie de público.

Author profile
Founder and information designer at | Website

Francis Gagnon is the founder of Voilà: (2013), an information design company based in Montreal specializing in sustainable development. Their clients are in Washington, New York, London, Tokyo, Beijing, Brussels, Ottawa and Montreal. In addition to leading the work of the firm, he delivers training and gives talks on information design and data visualization.